Colégio

IDEÁRIO

O Colégio de Amorim é um estabelecimento de ensino particular e cooperativo, integrado num Complexo Colegial do qual fazem parte mais dois estabelecimentos de ensino.

O Complexo Colegial foi constituído tendo como filosofia de base uma unidade estrutural e de ensino.

Daqui se depreende que, apesar de ser formado por três estabelecimentos de ensino, situados em áreas geográficas diferentes, a sua constituição se rege por princípios de identidade contextual e ideológica.

A oferta educativa do Colégio de Amorim insere-se no âmbito de uma escola integrada e de apoios financeiros dependentes dos rendimentos familiares, através de Contratos Simples, celebrados com o Ministério da Educação.

Esta unidade do Complexo Colegial é dotada de uma Direção coadjuvada por uma Direção Pedagógica, homologada pela Direção Regional de Educação do Norte.

Grande Colégio

O futuro fazemos agora.

  • Que seja um lugar de saber, onde a divulgação e a aplicação do conhecimento científico e das inovações tecnológicas vão a par com a educação ambiental e a defesa dos valores patrimoniais, da história, da língua e da cultura portuguesas;
  • Que promova a interligação, adotando a cultura, na sua pluralidade, como valor universal;
  • Que valorize as competências inerentes ao desenvolvimento da socialização, nomeadamente, o empenho, o trabalho em equipa, a cooperação, o sentido de pertença, a responsabilidade e a autonomia;
  • Que cultive a diversidade de opiniões, o debate, as práticas de exercício de poder democrático e a tolerância, de acordo com o conceito de cidadania, de lei e de direitos humanos que tutelam os princípios fundadores das instituições europeias;
  • Que promova as boas práticas de ensino, pugnando pela permanente atualização e adaptação às exigências contextuais do país, da União Europeia e do mundo globalizado;
  • Que fomente o ensino da arte e pela arte, a expressão artística e a formação estética;
  • Que ofereça oportunidade de prática de atividades físicas e desportivas diversificadas, favorecendo a adoção de estilos de vida ativos, numa lógica de promoção da saúde e de domínio de competências desportivas e motoras;
  • Que valorize o domínio das línguas estrangeiras, em particular as faladas no espaço europeu;
  • Que interaja com a comunidade, tornando-se referência local e nacional como lugar de ensino e de aprendizagem para públicos variados e de modos diversos;
  • Que promova o intercâmbio e as relações institucionais com escolas e organismos culturais da Europa e do mundo;
  • Que cultive a qualidade de vida e o bem-estar de todos os que nela trabalham e estudam;
  • Que incentive e valorize o esforço individual e coletivo, o empenhamento e a busca de excelência;
  • Que caminhe em direção a um futuro mais sustentável nos três pilares fundamentais: social, ambiental e económico.

O Regulamento Interno do Complexo Colegial foi elaborado, tendo em conta os princípios básicos da Constituição da República, da Lei de Bases do Sistema Educativo e do Estatuto do Aluno e Ética Escolar. O seu âmbito de aplicação é o consagrado na legislação em vigor, em torno da Educação e do Ensino, tendo por base a definição do regime de funcionamento de todas as estruturas e órgãos do Complexo Colegial.

Essencialmente, um Regulamento Interno é o conjunto de orientações, intenções, normas e atitudes, comportamentos adequados, que surgem explicitados, para sabermos todos (alunos, Docentes, Não Docentes, pais e Encarregados de Educação) como fazer, como estar, numa organização educativa, isto é, delinear, de uma forma objetiva, o funcionamento do 2.o e do 3.o CEB e do Ensino Secundário, no Colégio de Amorim.

Tem como objetivo o estabelecimento de normas de funcionamento e de convivência, que permitam a participação de todos e de cada um, na comunidade educativa. Como qualquer comunidade, a escolar, deve reger-se por princípios de tolerância e de solidariedade, dentro de um espírito de convivência saudável, em que cada um cumpra os seus deveres e respeite os direitos individuais.

Sendo assim, este documento define o regime de funcionamento do Colégio de Amorim, de cada um dos órgãos de Administração e Gestão, das estruturas de orientação e dos serviços especializados de apoio educativo, bem como os direitos e deveres dos membros da comunidade educativa. O cumprimento de normas cívicas e de respeito mútuo visam a integração do indivíduo no grupo, na organização e na sociedade, permitindo o bem-estar, a ordem e a segurança, necessários ao seu bom funcionamento. Disciplina, hoje, é essencialmente autodisciplina. Mais do que uma obrigação imposta de fora, é uma exigência assumida por dentro. Envolve compromisso, responsabilização pessoal e muito empenho.

O Regulamento entra em vigor, após aprovação no Conselho Pedagógico; tem revisão anual e o seu âmbito de aplicação é o consagrado na Legislação em vigor.

No novo contexto da autonomia das escolas, o Projeto Educativo das mesmas tornou-se num instrumento de concretização dessa política, fornecendo a cada escola a oportunidade de analisar e de reconhecer as suas próprias necessidades e, desta forma, atuar do modo mais adequado. Assim, encontra-se assegurada a possibilidade de reconhecer o meio envolvente, quer dos alunos, quer da própria escola e, desta forma, procurar integrá-lo nos projetos desenvolvidos.

O Projeto Educativo de Escola tornou-se num instrumento para combater a ideia de escola uniformizada, em que os currículos são únicos, não adaptados à realidade de cada escola, ao meio em que esta se integra e não tendo em conta as necessidades da população, que esta procura servir.

Este projeto concretiza um dos princípios da Lei de Bases do Sistema Educativo (LBSE): “Descentralizar, desconcentrar e diversificar as estruturas e ações educativas, de modo a proporcionar uma correta adaptação às realidades, um elevado sentido de participação das populações e uma adequada inserção no meio comunitário e níveis de decisão eficientes.” Deve, pois, ser construído em conjunto pela comunidade escolar, de forma a integrar os interesses e as necessidades de todos, concretizando uma nova política educativa, que procura o desenvolvimento de currículos mais aproximados das necessidades reais das comunidades escolares.

Através do Projeto Educativo, procura-se estruturar um plano que, integrando aspetos teóricos que lhe sirvam de base, apresente uma análise do contexto escolar em que a escola se insere e, desta forma, sejam encontradas respostas para as necessidades da população escolar.

O nosso Projeto Educativo é, então, o resultado de uma reflexão acurada sobre os pilares em que assenta a nossa ação e responde à necessidade de mudança e de adaptação perante a constante evolução da sociedade em que o Colégio está inserido. Resulta de um processo dinâmico específico, com o objetivo de melhorar a eficácia e a eficiência, e que se espera capaz de gerar soluções inovadoras, em que todos os atores educativos se possam envolver e colaborem nas atividades propostas, sejam elas de caráter científico ou pedagógico-didático. Simultaneamente, procura ser um documento orientador de todas as atividades educativas e capaz de corresponder às necessidades reais, visando garantir a sua evolução, no sentido de as adaptar às mudanças sociais e às exigências do meio.

A conceção deste documento resultou de um trabalho colegial e reflexivo, em que todos puderam dar contributos para que espelhasse melhor a sua prática quotidiana. Este traduz um consenso das necessidades e expectativas que melhor se adaptam e caracterizam a nossa realidade escolar. O Projeto Educativo compromete e vincula os membros da comunidade educativa em torno de uma finalidade comum. Primeiramente, refletiu-se sobre aquilo que nos define enquanto Colégio e que rumos queremos trilhar, pois só assim damos sentido à nossa prática e alcançamos os objetivos traçados.

O tema para este triénio é “A escola e o meio envolvente”. As atividades constantes do Plano Anual de Atividades, bem como as desenvolvidas no âmbito das diferentes disciplinas e turmas, concorrem para a operacionalização deste tema e, adicionalmente, em Formação Cívica e nas restantes disciplinas, serão trabalhadas áreas como a gastronomia, a literatura, a economia, a diversidade cultural, os costumes e as tradições, a arte e a ecologia, as quais contribuem para que os alunos e os diferentes atores educativos interiorizem e valorizem os valores e os costumes locais, como parte integrante da nossa identificação.